Tecnologia do Blogger.

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2020

Pais revivem as antigas brincadeiras da infância

     O objetivo é reduzir o tempo de uso da tecnologia pelos filhos. 
     A geração que teve uma infância nos anos 70 e 80, sem a tecnologia de hoje, se divertindo ao ar livre sente saudades das brincadeiras da infância como queimada, bolinha de gude, finca, pega-pega, esconde-esconde, amarelinha, cabra-cega, pula-corda, rodar pião, brincar de carrinhos de rolimã, rodar pneu, bambolê, jogo da velha e recitar cantigas de roda, sentem saudades desses tempos e reconhecem que a prática é saudável.
     Brincadeiras estas que as crianças de hoje sequer ouviram falar, diante do avanço da tecnologia, uso de tabletes, celular, TV, que substituíram hoje os passatempos das crianças, fazendo com que fiquem ociosas em casa, praticamente não se movimentando.
     E os pais já perceberam que isso não é bom para o desenvolvimento de seus filhos.
      Organizados ou não, os pais vem percebendo a necessidade de seus filhos terem mais contato social com outras crianças e de se movimentarem mais. Para isso, nada melhor que as brincadeiras antigas da infância e começaram a reviver essas brincadeiras, limitando o tempo que suas crianças passam no celular, tablete, computador ou TV em joguinhos, ensinando as crianças como era essas brincadeiras e as incentivando a brincarem com seus primos, irmãos e amigos ao ar livre, em casa ou nas praças.
     As crianças estão indo para ruas e praças da capital e nas cidades do interior, como por exemplo, em Samambaia, no Distrito Federal onde existe desde 2015 o Projeto Curumim Cultural criado com o objetivo de reviver e incentivar entre as crianças, as brincadeiras antigas. Em Bom Despacho MG, praças estão sendo pintadas com jogos de amarelinha para as meninas brincarem (como pode ver na foto acima). Ainda nas praças, os meninos brincam com bola, pulam corda, brincam de esconde-esconde, patinete, etc.
     Alguns pais incentivam seus filhos ainda a saudável prática de fazer seus próprios brinquedos, como se fazia antigamente, usando latas ou madeiras velhas, fazendo os pneus com pedaços de chinelos velhos e assim fazendo seus carinhos para brincarem. Nada mais saudável que ensinar os filhos a fazerem carrinhos de rolimã e brincarem com eles. As meninas aprendem a fazer casinhas ou utensílios doméstico usando argila ou bichinhos, usando frutas e legumes, como chuchu.
     Práticas saudáveis onde as crianças brincavam juntas, na infância dos pais e com certeza, saudáveis hoje para filhos. As brincadeiras antigas faz com que as crianças fiquem mais felizes, mais ativas, mais criativas e mais saudáveis porque estarão em constantes movimentos, ao contrário quando ficam à frente de uma TV ou tabletes, paradas, apenas movimentando os dedos e mãos.
     Limitar o uso da tecnologia das crianças, incentivando-as a brincarem entre si, retira os filhos do sedentarismo, melhora a saúde física e mental, ajudando em muito no desenvolvimento das habilidades dos filhos. 
(Por Arnaldo Silva. A imagem que ilustra a capa é uma tela de autoria do artista plástico Gildásio Jardim de Padre Paraíso MG, usando tecido de chita)
Recomendações ao uso de telas
Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), em momentos de inatividade, recomenda-se que os pais ou responsáveis leiam ou contem histórias.
Crianças com menos de um ano:
Devem estar fisicamente ativas várias vezes ao dia, de várias maneiras, particularmente por meio de brincadeiras interativas no chão.
Não se recomenda que passem tempo diante de telas de dispositivos eletrônicos.
Com um a dois anos de idade:
Passar ao menos três horas em uma variedade de atividades físicas em qualquer intensidade.
Para crianças de um ano de idade, não se recomenda nenhum período de tempo em frente a uma tela. Para aquelas com dois anos de idade, o tempo não deve ser superior à uma hora.
Com três a quatro anos de idade:
Devem gastar ao menos três horas em vários tipos de atividades físicas, em qualquer intensidade.
O tempo dedicado a atividades sedentárias em frente às telas não deve exceder uma hora.

0 comentários:

Postar um comentário

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Conheça o projeto EcoVida

Postagens populares

Seguidores